A Prefeitura de São Sebastião quer criar 89 cargos comissionados

0
187

Câmara aprovou nesta quinta-feira (1º) o projeto. Ele depende de uma segunda votação, que está prevista para acontecer na próxima terça-feira (6).

Prefeitura de São Sebastião quer criar 89 cargos comissionados. O projeto de lei foi aprovado por unanimidade nesta quinta-feira (1º) pelos vereadores. Para passar a valer, ele ainda vai passar por uma segunda votação, prevista para acontecer na próxima terça-feira (6), e seguirá para ser sancionado pelo prefeito Felipe Augusto (PSDB).

A Prefeitura de São Sebastião não informou o valor dos salários e quanto será gasto com os novos cargos, que são de livre nomeação, ou seja, são ocupados por pessoas indicadas pelo prefeito, que não necessariamente prestaram concurso público. O governo afirmou, somente, que o impacto na folha será de 0,4%, sem precisar o montante.

De acordo com o vereador Gleivison Gaspar (PMDB), que integra partido de oposição ao prefeito e é contra o projeto, os salários variam de R$ 1.671 a R$ 9.211. O Portal da Transparência da prefeitura não podia ser acessado nesta quinta-feira.

Os cargos são para diretor de Departamento Administrativo, diretor de Departamento de Coordenadoria dos Centros de Referências Sociais, diretor de Departamento de Fiscalização (Meio Ambiente), diretor de Operações, diretor da Regional Topolândia, chefe de Divisão Financeira, chefe de Divisão de Convênios, chefe de Divisão de Centros Comunitários, chefe de Divisão de Biblioteca, chefe de Divisão Administrativa, chefes de Divisão Operacional, chefe de Divisão de Apoio Legislativo, assessores de gestão, assessores de apoio operacional, chefes de secretaria, assessores especiais.

Avaliação

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Audrei Guatura, disse que não há necessidade de aumentar a quantidade de funcionários. “Temos funcionários competentes dentro do município que poderiam ter um plano de carreira e preencher o cargo”, afirmou.

Ela disse ainda se a prefeitura realmente considera importante as contratações, ela deveria fazer concurso público. “Eu me lembro que em dezembro foi aprovado na Câmara um projeto que extinguia 60 cargos comissionados. Então, agora tem 30 excedentes. É errado a quantidade e também de não ter cargos concursados, que são importantes para o município”, completou.

 Readequação

A prefeitura informou que foram feitas análises e identificada a necessidade de readequar a estrutura de algumas secretarias, o que motivou a criação dos cargos.

Em nota, a administração disse que “trabalha de forma transparente e com respeito ao dinheiro público”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui