Bertioga alerta para importância do pré-natal

0
22
A Secretaria de Saúde de Bertioga está alertando as gestantes sobre a importância do acompanhamento pré-natal – período em que é possível identificar e reduzir problemas que podem atingir a saúde da mãe e do bebê.
Além de todo atendimento gratuito na rede municipal de saúde, a Prefeitura também organiza rodas de conversa, grupos de gestantes e orientação para as mamães, como amamentação e cuidados.
Em Bertioga, há cerca de 600 gestantes realizando o acompanhamento atualmente. Essa assistência às futuras mamães é fundamental para que sejam realizados cerca de 1000 partos saudáveis anualmente. Grande parte das gestantes ainda deixa de fazer o pré-natal mensalmente, faltando às consultas marcadas ou não realizando os exames solicitados e necessários.
Segundo especialistas, a realização de um pré-natal adequado, com as mães cumprindo corretamente o calendário de consultas, exames e vacinas, é um dos fatores principais na redução da mortalidade infantil.
O ideal é que as mães iniciem o pré-natal assim que souberem da gravidez. As unidades básicas de Saúde (UBS) realizam o teste que diagnostica a gravidez. A mulher passa por consulta com uma enfermeira para avaliação de risco da gestante, ou seja, se é hipertensa ou diabética, por exemplo. Na sequência, acontece o acompanhamento com um ginecologista.
Há também pedidos de exames de sangue como hemograma completo, para checar se a mulher está com anemia ou infecções; glicemia, para verificar a taxa de glicose; e algumas sorologias como HIV, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, sífilis congênita, hepatite B e C, entre outros exames de rotina.
O cumprimento correto do calendário pré-natal permite identificar problemas como hipertensão, infecção urinária e doenças transmissíveis, pelo sangue, de mãe para filho, como a do vírus HIV e a sífilis. Alguns desses problemas podem causar parto precoce, aborto e até trazer consequências mais sérias para a mãe ou para a criança. Ao todo, são realizadas no mínimo seis consultas durante o pré-natal.
As grávidas que precisam de cuidados especiais por complicações na gravidez, como hipertensão ou diabetes, são encaminhadas ao Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, serviço de referência na Região nestes casos, para acompanhamento de casos de risco obstétrico. Atualmente, 90 grávidas fazem esse acompanhamento.
O QUE O PRÉ NATAL PODE EVITAR?
 
Para o bebê o pré-natal pode evitar má formação, parto prematuro, desnutrição e doenças metabólicas durante o período da infância. Na adolescência, pelo organismo ainda estar em formação, é grande o risco de hipertensão. Após os 36 anos de idade, mãe e filho ficam vulneráveis a complicações como hipertensão e diabetes e má formação fetal.
PASSO A PASSO
– O pré-natal em Bertioga segue o protocolo do Ministério da Saúde.
– Quando a grávida é recebida em uma UBS, é atendida pela equipe de enfermagem, que realiza testes rápidos de Hepatites B e C, Sífilis e HIV.
– A primeira bateria de exames inclui: hemograma, tipagem sanguínea, glicemia, VDRL, FT-ABS, anti HIV 1 e 2, HBsAG, Anti – HBs, Anti HCV, Toxoplasmose IgG/IgM, Rubéola IgG,urina e cultura de urina, PPF 3 amostras
– O papai também faz exames: HIV 1 e 2,VDRL, FTA-abs, HBsAg, Anti-HBs, Anti-HCV.
– A equipe de Atenção Básica alerta às grávidas sobre manter uma alimentação saudável durante os meses de gestação.
– E durante toda a gravidez, três ultrassonografias atestam a saúde do bebê: a primeira ocorre até a 12ª semana e as outras duas após a 20ª e na 34ª.
– Entre a 24ª a 28ª semana de gestação, as mamães realizam o TTGO, teste que detecta diabetes na gravidez.
– Entre a 34ª a 36ª semana é realizada a coleta de Estreptococo B.
– Exames de urina deverão ser repetidos no 2º trimestre.
– Durante todo o pré-natal, agentes comunitários levam ações de educação às salas de espera das UBS, em trabalho conjunto com a equipe médica.
– Os agentes comunitários realizam visitas domiciliares às gestantes. Ao perceber qualquer intercorrência, avisam logo à equipe da UBS. Eles também orientam quanto ao uso do ácido fólico e sulfato ferroso, acompanham a carteirinha da gestante e, caso haja falta em consulta, comunicam a enfermeira.
– A equipe médica também aconselha e identifica grávidas que precisem de assistência psicológica, encaminhando-as para um psicólogo.
– Elas também são encaminhadas para assistência odontológica.
– Antes do parto, as mamães fazem visitas à maternidade do Município.
– As mamães têm o direito de ter um acompanhante no pré, durante e no pós-parto.
– Mãe e bebê tem contato pele a pele e elas são orientadas sobre cuidados que devem ter com o recém-nascido.
– Eles ficam em um alojamento conjunto 24 horas, até receber alta.
– Bebês passam por teste do olhinho, coraçãozinho, pezinho e BCG.
– A recém-mamãe recebe alta já com os exames agendados: teste da orelhinha e neonatologista.
– Puerpério é como é chamado o período que vai desde a expulsão da placenta até 6 a 8 semanas após o parto, com o retorno do corpo da mulher ao estado normal de antes da gravidez.
– As enfermeiras da Atenção Básica localizam as puérperas para que procurem um médico o mais breve possível, em até 45 dias após o parto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui