Eleições 2018 e os desafios de Jair Bolsonaro

0
15

Formado na Academia Militar das Agulhas Negras, especialista em paraquedismo de infantaria e Capitão do Exército Reformado. Eleito vereador em 1989, depois Deputado Federal, acumulando 7 mandatos consecutivos – esse é Jair Messias Bolsonaro.

Conhecido pelas aparições polêmicas na mídia brasileira, ganhou evidencia nacional após o escândalo do Mensalão em 2000, quando no julgamento, o Juiz do STF Joaquim Barbosa afirmou que após as investigações, o único Parlamentar do PP que não estava envolvido no esquema de Corrupção era o Capitão. Com um linguajar direto ao cidadão, firmeza no discurso contra bandidos, militância contra o famoso “Kit Gay”, aparições em programas de televisão como “SuperPOP” e “CQC” e o famoso mantra “o chamam de racista, porque não podem chamá-lo de corrupto”, Jair

seguiu acumulando críticos e adoradores por todos esses anos. 2018 chegou, em maio a escândalos políticos continuou coerente no discurso e na conduta, ganhando notoriedade nas redes sociais, que o colocaram na disputa para a Presidência da República, assim como outros tantos políticos pelo Brasil.

Durante a eleição, declarações polêmicas foram desenterradas, algumas tiradas do contexto, outras apresentadas na íntegra, trazendo para a sociedade brasileira a atmosfera de “Ame-o ou Odeie-o”. Enquanto isso, Lula, o messiânico ex-Presidente, foi preso por Ocultação de Patrimônio, Corrupção e Lavagem de Dinheiro, a “esquerda” começou a ruir. O desespero tomou conta da corrida eleitoral, quanto mais atacavam o Capitão, mais ele crescia. No segundo turno o nível caiu mais ainda, as “fake News” deram a tônica do discurso, debates não aconteceram – teve uma facada antes do primeiro turno – e a disputa se fez em outro campo, entre a Mídia Tradicional e as Redes Sociais. E mesmo os rasos adjetivos repetidos à exaustão, “Facista, Machista, Racista, Nazista e outros”, o movimento #EleNão, o “ZAPgate”, literalmente nada foi capaz de desconstruí-lo, pelo contrário, o tornava mais forte, o fazendo ser eleito no segundo turno para ocupar o cargo mais importante da Democracia, sendo o 38º Presidente da República Federativa do Brasil.

Jair Messias Bolsonaro recebeu o voto de confiança da população brasileira e um enorme desafio: reunir nossa sociedade dividida, resolver problemas tis como: 13 milhões de desempregados, crise profunda na previdência, mais de 60.000 mortos por ano, o crime organizado tomando conta dos presídios e das ruas, a educação esfacelada, a saúde respirando por aparelhos e a necessidade de se provar para o mundo que não é o bicho papão que desenharam dele. Para isso precisará se desvincular da imagem anti-democrática, criada por seus adversários, e junto com os importantes nomes que indicar para sua equipe, além do Economista Paulo Guedes, poderá reconstruir realmente um novo Brasil, superando os desafios, assim espero.

por Guilherme Freires, em resumo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui